Cultura organizacional

O alinhamento de equipes em tempos de home office.

Equipes remotas, demandas diferenciadas, pessoas gerindo sua própria produtividade, e resultados que precisam ser entregues.O cenário do home office mudou a dinâmica de times e equipes de empresas que precisaram alterar a maneira como lidam com suas atividades.Por outro lado, a demanda por resultados nunca pareceu de um ajuste fino e preciso para manter a saúde financeira dos negócios.


Se temos por um lado uma economia enfraquecida e desacelerada, por conta da situação gerada pelo COVID-19, e empresas que precisam buscar novas maneiras de se manter no mercado, por outro lado, temos equipes que se distanciaram fisicamente e culturalmente dos seus postos de trabalho.


A rotina do escritório se modificou e não parece que retornará aos seus moldes tradicionais em grande parte das empresas que descobriu que o home office e a gestão de equipes remotas diminui os custos e aumenta a eficiência.

  • Mas como manter o engajamento destas equipes com a cultura da empresa e com suas demandas?
  • Como criar um vínculo que não é simplesmente empregatício, mas também passa pelo comprometimento que cada membro da equipe tem com a visão do negócio?


São novos tempos e não existe resposta correta para os processos e maneiras que cada empresa precisa adotar.Mas é certo que a preocupação em fortalecer a cultura organizacional é ainda mais relevante, para o alinhamento do time e a compreensão da importância das horas de trabalho dedicadas no “conforto do lar”.


Em termos leigos e simplistas, cultura organizacional pode ser vista como “aquilo que acontece na empresa, quando o dono não está olhando”.É a forma como a dinâmica de trabalho e a visão da empresa são compreendidas pela equipe, apontando a direção e as prioridades.É quando todos estão alinhados com o propósito organizacional e entendem que estão atuando para algo em que acreditam em conjunto.


Aliás, propósito e cultura organizacional nunca pareceu estarem tão próximas neste momento de distanciamento social.Reflita:

  • O que mantém a sua equipe acreditando que estão alinhados com a empresa?
  • Eles entendem o posicionamento da empresa no mercado?
  • Eles entendem a importância da empresa para a sociedade?
  • O que os mantém engajados, para além do salário e dos benefícios?

Eu gosto de pensar que cultura é um modelo organizacional de um inconsciente coletivo. Como assim? Existe uma ideia central que a empresa pretende passar. Exemplos: A Apple tem um propósito organizacional de exaltar a inovação, a diferenciação, o requinte, a modernidade. Assim, os membros de suas equipes, já entendem do que se trata o business da empresa, das necessidades de criação e inovação constante, do peso e responsabilidade que cada um têm sobre os resultados da empresa, para que ela se mantenha no mercado sobre o mesmo posicionamento. A Nike é uma empresa que tem como propósito organizacional incentivar a ação (Just Do It). O que você imagina que ela quer de suas equipes? Ação! E todos compreendem e incorporam essa visão. Ação em benefício da saúde e do lazer de pessoas em todo o mundo.


Mas cultura, é mais do que frases de efeito e valores destacados.Cultura é algo que se constrói de dentro para fora. Cultura não é endereçada pela gerência. Cultura é criada através da rede de envolvimento de seus times e adicionados às condições que a empresa apresenta no dia-a-dia.


Quero dar um exemplo que vivenciei na construção de uma nova cultura organizacional e como isso se relaciona à dinâmica de equipes remotas.
Em 2017, assumi o desafio de desenvolver uma cultura de inovação em uma organização com mais de 50 anos de história. O desafio já começava por se tratar de uma organização antiga e que não tinha o hábito de incentivar a inovação internamente. Além disso, não bastava ensinar inovação para seus funcionários, afinal de contas, eles nunca haviam sido ensinados a inovar e a pensar inovação dentro daquele ambiente.

Para uma cultura organizacional de inovação, era necessário que a própria equipe entendesse como criar ambientes de inovação, a importância de ter novas ideias, os limites de criação e o processo de implementação e testagem. Também incentivamos a geração de novos fluxos de relacionamento, que não “decapitassem” as novas ideias precocemente. As relações dentro da equipe, deveriam incentivar a experimentação, ao invés de alguém simplesmente soltar um “Hummm… acho que isso não vai dar certo!”


Percebe como isso é uma visão refinada do que acontece dentro da sua empresa?


E o que isso tem a ver com equipes remotas?
Sua equipe está dentro de casa, estão distanciados fisicamente, porém precisam compreender que não estão distanciados culturalmente. É preciso que compreendam o que podem gerar para a atual situação colaborativamente (inclusive colaboratividade é algo ainda mais importante agora). É preciso desenvolver relações fortalecidas que não esmoreçam o engajamento diante da situação diferenciada da rotina. É preciso que internalizem a importância do negócio, a visão que a empresa tem para o mundo, e como fazem parte disso.


É preciso dar cara e voz para esta cultura organizacional, e assim fazer com que tenham a compreensão que representam algo maior do que simplesmente um kanbam, um fluxo de processos, e prazos cumpridos.
A autogestão da produtividade é o novo desafio pessoal para os profissionais e ele precisa ser criado já com base nas expectativas que o negócio quer gerar de impacto.


Então, aqui vão as dicas para fortalecer uma cultura organizacional para equipes remotas e home office:

  • Realize reuniões periódicas via plataformas de encontros online (Zoom, Google Meets, etc.) para debater novidades, saber como estão as coisas, se alguém precisa de ajuda com algo;
  • Realize atividades online em pequenos grupos separados (mini equipes), incentivando que busquem soluções em conjunto para algumas demandas da empresa (reforçando a autonomia e a experimentação);
  • Prepare encontros online de happy hour, meditação em grupo, atividade física, fortalecendo o vínculo entre as pessoas e com a empresa;
  • Prepare materiais que apresentam as novas visões e projetos da empresa, abrindo espaço para feedbacks;
  • Ofereça programas de desenvolvimento pessoal e profissional para as equipes, alinhadas com aquilo que a empresa pretende alcançar no mercado.

Não existe cultura organizacional certa ou errada. Existe aquelas que funcionam mais ou menos. Porém, a cultura é algo que se constrói de dentro para fora, respeitando o que há de mais importante no seu negócio, a humanidade de cada um.

Ps.: Quer saber o resultado do trabalho realizado na empresa que desenvolvi em 2017? Atingimos 95% de orgulho em se trabalhar na instituição. Implementamos 3 novos projetos de inovação interna. Reformulamos o ambiente corporativo, atingindo mais dinamismo nas relações e nas entregas das equipes.


Se quiser saber mais sobre como criar uma cultura organizacional para a sua equipe, mesmo diante da necessidade de home office e trabalho remoto, é só mandar um e-mail ou chamar pelo whatsapp (27) 99946-3283.

Márcio Merçoni on sabyoutubeMárcio Merçoni on sablinkedinMárcio Merçoni on sabinstagramMárcio Merçoni on sabfacebook
Márcio Merçoni
Márcio Merçoni - Graduado em Psicologia, MBA em Gestão de Pessoas.
Espacialista em desenvolvimento humano, designer de carreiras e de cultura organizacional.

Atua há 10 anos na criação de programas para pessoas e empresas se conectarem com seu propósito e felicidade.

Também é fundador e instrutor de meditação da Dasein House, professor e palestrante.

Leave a reply


Seo wordpress plugin by www.seowizard.org.